A Arteterapia é uma prática expressiva, visual e artística que tem como objetivo
atuar como elemento terapêutico na análise do consciente e inconsciente e, assim,
promover a preservação, recuperação da saúde e do equilíbrio interno. Por meio da
atividade é possível, então, interligar os universos interno e externo das pessoas,
favorecendo a saúde física e mental.

Ao oferecer recursos expressivos como pintura, colagem, modelagem, poesia,
dança, fotografia, tecelagem, expressão corporal, teatro, sons, músicas ou criação
de personagens, é possível externalizar o universo interno de cada pessoa e dividí-lo com um grupo ou até mesmo somente com o arteterapeuta. Dessa forma, a produção artística pode ser viabilizada a favor da saúde, seja em grupo ou individualmente.

A partir de 2018 a atividade passou a fazer parte da Política Nacional de
Práticas Integrativas Complementares (PNPICS) do Sistema Único de Saúde e
pode ser encontrada em hospitais públicos do Brasil.

História

De acordo com a União Brasileira de Associações de Arteterapia é a partir do
século XIX que a arte se torna parte do processo terapêutico – com os estudos
do médico Max Simon. Já no século XX, o psicalista Segmund Freud percebe
passa se interessar pelo movimento ao perceber que um artista pode
simbolizar de maneira concreta aspectos de seu inconsciente por meio da
produção artística.

Contudo, foi psicólogo Carl Jung o primeiro a utilizar a arteterapia em suas
consultas. Ele pedia para que os pacientes fizessem desenhos retratando os
sonhos e demais aspectos de sua vida. Dessa maneira seria possível constatar
os símbolos presentes no inconsciente das pessoas e utilizar a expressão
artística como ferramenta no processo de cura. No Brasil os pioneiros nos
campos da arteterapia foram Osório César e Nise da Silveira.

Pessoa de referência

Nise da Silveira

Benefícios

  • Melhora a qualidade das relações humanas porque se centra no fator emocional, essencial em todo ser humano, nos ajudando a ser mais conscientes de aspectos obscuros (Duncan, 2007) Duncan, N. (2007). Trabajar con las Emociones en Arteterapia/Art Therapy and emotions. Arteterapia, 2, 39-49.
  • Expressão dos sentimentos que são difíceis de verbalizar
  • Exploração da imaginação e da criatividade
  • A arte diminui os níveis de estresse e de ansiedade

1 COMENTÁRIO